A Família Juramidam - fotos históricas da doutrina do Santo Daime
 
 
Mestre Irineu e dona Raimunda, 1949
 

Mestre Irineu e dona Raimunda,
sua terceira companheira e esposa, em 1949.

Da esquerda para a direita: Francisca Marques Feitosa, irmã de dona Raimunda; Laura, filha de Maria Marques Vieira (Maria Damião); Veriana Brandão; Maria das Dores Ribeiro (Bibi, irmã de dona Percília Matos); Maria Franco, mãe de dona Raimunda; Percília Ribeiro; dona Raimunda Marques Feitosa, então esposa do Mestre; Paulo Serra, filho adotivo do Mestre, e Mestre Irineu - foto tirada em 1949. Provavelmente já no Alto Santo, que foi construído em 1948.

Do que se tem notícia, o casamento com dona Raimunda seria a primeira união oficial do Mestre Irineu, na Igreja Católica. Suas esposas anteriores, Emilia Rosa Amorim, com quem teve o filho Valcírio, e dona Francisca, não tiveram casamentos formais. Além disso, o Mestre nunca realizou casamentos na sede de serviços da doutrina. De acordo com os mais antigos, Mestre Irineu explicava que "tudo que fosse feito na sede de serviços era feito 'no astral', para a eternidade"; portanto, ao reconhecer que nem sempre os casamentos perduravam – e nisso não há obrigatoriamente erro, se cumprir a destinação –, não julgava acertado realizar a cerimônia no correr de um serviço espiritual [Luiz Carlos Teixeira de Freitas].

Depois do casamento, Antônio Roldão, irmão de dona Raimunda, se tornou comandante do salão e feitor de Daime, junto com outro irmão, Antônio Tordo. A mãe, Maria Franco, também viria a se juntar com João Pereira.

Pesquisa do livro "Eu Venho de Longe", de Paulo Moreira e Edward McRae.
Foto do acervo do saudoso Daniel Serra, sobrinho do Mestre [foto original, formato grande]