Santa Missa
Na doutrina de Raimundo Irineu Serra

 
***

Santa Missa é um conjunto de dez hinos cantados (seis de mestre Irineu, dois de Germano Guilherme, um de João Pereira e um de Joaquim Português) e entremeados por Nove Preces(1) rezadas após cada hino, apenas no serviço aos Finados ou por ocasião da passagem de um irmão (daimista ou não) – em geral aos sete dias após a passagem e sempre após as quatro horas da tarde (exceção feita à Santa Missa do dia de Finados, cantada na madrugada do próprio dia, após o serviço bailado de contrição). Os hinos da Missa ele fez essa escolha. O próprio Mestre que fez a escolha dos hinos que são permanentes na Missa. O das velas em volta da mesa é do João Pereira. O Despedida é do irmão Joaquim. Chamava Joaquim Português, agora eu não sei o nome dele. Ele era português mesmo. Ele tinha um hinariozinho pequenino, onde o Mestre escolheu esse hino para a missa, esse Despedida. O Joaquim Português morreu no Rio de Janeiro. Senhor Amado é do Germano. É do hinário do sr. Germano, mas é só da Missa (2).

  • Inicia-se com um terço (finalizando com Salve Rainha, mas não faz o Sinal da Santa Cruz no fim do terço).
  • Canta-se os hinos da Santa Missa intercalando-se com 3 pai-nossos, 3 ave-marias.
  • Preçes finais (3 pai-nossos / ave-marias, um salve rainha e finaliza com o "louvado seja Deus nas Alturas" e daí sim, o "sinal da santa cruz").

    Hinos que compõem a Santa Missa

    01-Oh! Senhor amado (Germano Guilherme)
    02-Dois de Novembro (Mestre Irineu)
    03-Rogativo aos Mortos (Mestre Irineu)
    04-Mãe Celestial (Mestre Irineu)
    05-Equior Papai me chama (Mestre Irineu)
    06-Todo mundo quer ser filho (Mestre Irineu)
    07-Senhora Mãe Santíssima (Germano Guilherme)
    08-Oh! Meu Pai eterno (João Pereira)
    09-Me despeço meus irmãos (Joaquim Português)
    10-Pisei na terra fria (Mestre Irineu)

A ritualística da Santa Missa requer ao menos a composição da mesa, ou seja, 6 pessoas.

***

Agradecimentos
Luiz Carlos Teixeira de Freitas
Fabrício Pacheco

 
(1) - Este aspecto das chamadas "nove preces" é um dos mais saborosos no conjunto de ensinos finos que mestre irineu vivia oferecendo. Quando ele se referia às "nove preces", estava se referindo ao "Pai Nosso", à "Ave-Maria" e à "Santa Maria", orados três vezes juntos. e o que isso quer dizer? A prece que conhecemos como "ave-maria" tem uma nítida divisão de origem de conteúdo: ao passo que a primeira parte ("Ave Maria, cheia de graça, bendita sois Vós entre as mulheres, bendito é o fruto do Vosso ventre") se baseia integralmente no texto bíblico, quando o anjo saúda Maria e anuncia o Redentor, a segunda parte ("Santa Maria, mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte, amém") é o resultado de elocuções que a igreja católica apôs no decorrer de um milênio. "Jesus" foi posto ao meio das duas partes por volta de 1300 d.c. Daí que Mestre Irineu lidava com a "Ave-Maria" como se fossem duas orações: a primeira reproduz a saudação do anjo a Maria, a segunda eleva nossos rogos a Ela. Portanto, Um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e uma Santa Maria compunham três preces; vezes três, temos as "nove preces" (Luiz Carlos Teixeira de Freitas).
(2) - Percília Matos da Silva.
 
 
A mesa de trabalhos do Mestre