Daniel Arcelino Serra e o Maranhão
por Mivan Gedeon*
 

 
Nota: devido a revista virtual "Arca da união" ter saído do ar, o relativo texto estará a disposição no site A Família Juramidam até que ele seja disponibilizado em pdf pela própria equipe da Arca.
 

Seu Daniel SerraEm São José do Ribamar, lugar de devoção na Ilha de São Luís.

Depois de 50 anos vivendo no Acre, Daniel Arcelino Serra, 68 anos, retornou ao Maranhão para cumprir uma missão: fundar no estado natal a primeira igreja do Santo Daime.

Sobrinho do Mestre Raimundo Irineu Serra, Daniel Serra foi iniciado na doutrina daimista em fevereiro de 1958 pelo fundador do culto. "Era o maior desejo do mestre Irineu fundar uma igreja no Maranhão, terra onde ele nasceu. A doutrina está espalhada no mundo inteiro, mas não no estado. É um desafio grande levantar essa bandeira. A doutrina tem muita coisa para ensinar”, declarou Daniel Serra.

Os encontros do Santo Daime estão sendo feitos em locais diversos na Ilha de São Luís, enquanto é edificada a igreja do CICEBRIS - Centro de Iluminação Cristã Estrela Brilhante Raimundo Irineu Serra.
Daniel Arcelino Serra é filho de Maria Serra (Dona Cota), irmã mais nova do Mestre Irineu, e tendo nascido em São Vicente Férrer quando a mãe ainda era solteira, foi criado toda a sua infância pela avó materna, Dona Joanna d´Assunção Serra. Dela possui muitas vívidas recordações, tanto das orações que rezava quanto dos "causos" que gostava de contar, e é testemunha do carinho que a mãe do Mestre Irineu sempre manifestou em relação a seu filho primogênito de quem não teve notícias por tantos anos.


Daniel Serra apreciando matérias a seu respeito publicadas nos jornais maranhenses.
 Foto: Francisco Campos.

Jairo Carioca relata como se deu a vinda de Daniel Serra ao Acre, junto com dois primos seus, nos anos 50:



Ao lado de seu tio já ancião, Daniel se mostrou esforçado e dedicado na lida da administração rural da colônia do Alto Santo, atuando como verdadeiro braço-direito do Mestre em todas as necessidades. Casou-se com uma jovem seguidora da Doutrina, por nome Otília, e tiveram uma única filha, Maria do Carmo, que hoje, junto ao esposo Émerson e aos filhos Gabriel Matheus, Gabriel Lucas e Giovana, também vivem em São Luís apoiando o projeto do CICEBRIS.

Em "A Família Juramidam", depoimentos de Daniel Serra ilustram a importância de sua posição atual como representante da família do Mestre Irineu aberto ao contato com as diferentes vertentes doutrinárias abraçadas por seus seguidores, a fim de dirrimir dúvidas e esclarecer a história:

***

Apesar de fazer parte há tantos anos da Doutrina, Daniel Serra humildemente recebeu apenas quatro hinos até hoje, cujas estrofes afirmam o seguinte:

1 – Espelho

Este é o espelho
Que eu te dou
Eu tenho um pai
Eu tenho amor

***

2 - Pé Firmado

Eu tô em pé firmado seguindo a minha doutrina
Eu tô em pé firmado seguindo a minha doutrina

Junto com meus irmãos
No brilho da Mãe Divina

***

3 – Auxilio Divino

Meu Mestre eu te peço um auxílio divino
Meu Mestre eu te peço um auxílio divino

Deus me dá força
Sempre eu vou seguindo

Eu te dei esta estrela
para ser o teu domínio

Que é para te conhecer
como filho da Rainha

***

4 – Nosso Mestre Assim Trabalha

Nosso Mestre assim trabalha
Para ver nós todos iguais

Mas ninguém presta atenção
Só querem é lhes coicear

Todos nos assim fazendo
Como o Mestre a nos guiar

Temos Deus no coração
Mamãe é a Virgem Maria

***

Finalizando, nada mais justo que lembrar a letra do Hino do Estado do Maranhão, que no festejo das Bodas de Ouro da Madrinha Peregrina Gomes Serra, em setembro de 2006, foi cantado no Alto Santo junto ao hino acreano, em homenagem especial nas vozes das cantoras da casa: e que essa ponte entre o Maranhão e o Acre, criada pelo Mestre Irineu e reafirmada por seu sobrinho o Padrinho Daniel Serra, só venha a se fortalecer!

"Entre o rumor das selvas seculares,
Ouviste um dia no espaço azul, vibrando,
O troar das bombardas nos combates,
E, após, um hino festival, soando.
(Estribilho)

Salve Pátria, Pátria amada!
Maranhão, Maranhão, berço de heróis,
Por divisa tens a glória
Por nome, nossos avós.


Era a guerra, a vitória, a morte e a vida
E, com a vitória, a glória entrelaçada,
Caía do invasor a audácia estranha,
Surgia do direito a luz dourada.


Quando às irmãs os braços estendeste,
Foi com a glória a fulgir no teu semblante
E foi sempre envolta na tua luz celeste,
Pátria de heróis, tens caminhado avante.

 
Reprimiste o flamengo aventureiro,
E o forçaste a no mar buscar guarida
Dois séculos depois, disseste ao luso:
- A liberdade é o sol que nos dá vida.


E na estrada esplendente do futuro,
Fitas o olhar, altiva e sobranceira,
Dê-te o porvir as glórias do passado
Seja de glória tua existência inteira."

(Letra: Joaquim de Araújo Lima/Música: Dr. José de Melo e Silva)
       

Notas:
* Mivan Gedeon Gomes é jornalista e video-documentarista maranhense. Membro da diretoria do CICEBRIS, mantém no Orkut a comunidade "Daniel Serra em São Luís - MA" (http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=22113949). Contatos: gedeon3.3@gmail.com

***