Hinos Ofertados / no tempo do Padrinho Sebastião e do hinário Nova Jerusalém
 

“Nova Jerusalém” é o título dado pelo Padrinho Sebastião ao caderno de hinários que, após mais de quatro anos sem receber hinos, estando concluído o caderno de “O Justiceiro”, foi aberto no Céu do Mapiá em 1983. O primeiro hino, “O Convite”, foi recebido após um trabalho, conjuntamente com sua cunhada a Madrinha Júlia. Foi então que foi criada a figura do “hino presenteado”, ou “ofertado”, antes inexistente pois segundo o Mestre Irineu cada qual devia ser responsável “total” pelas flores recebidas em forma de cânticos em sua trajetória na Doutrina. O primeiro hino foi ofertado à Madrinha Júlia, e a partir daí os hinos seguintes foram todos dedicados a pessoas da irmandade mapiense, concluindo-se com o hino 26, que o Padrinho dedicaria a seu futuro genro, o Padrinho Paulo Roberto, da Igreja Céu do Mar. Justifica-se essa “doação” ou "dotação” de hinos pelo fato do Padrinho ter o seu hinário completo, ou seja, fechado, e querer prosseguir com seus ensinos presenteando os seguidores mais próximos, motivo pelo qual o novo caderno de hinos foi criado. Na verdade, após muitas tribulações para encontrar um lugar de selva onde se estabelecer em definitivo com sua irmandade, o Padrinho Sebastião considerava a vida no “Céu do Mapiá” um novo tempo, e é em torno dessa “nova igreja” que os seus derradeiros hinos estariam dedicados.

(por Eduardo Bayer, em Cadernos de Hinário)